Mercado: Licenciamento e Certificado de Registro de Veículo são unificados


A partir de agora, o Certificado de Registro de Veículo CRV e o Licenciamento estão unificados e são denominados Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo CRLV-e. Os documentos já estão vinculados em formato digital, não havendo mais a emissão de ambos em papel moeda.

A mudança foi determinada pelo Conselho Nacional de Trânsito Contran, por meio da resolução n° 809 de 2020, para os Detrans de todo Brasil e valerá para os veículos registrados a partir do dia 04 de janeiro de 2021. Ou seja, os documentos expedidos antes disso, que foram impressos em papel moeda, continuarão valendo.

"Simplificar e desburocratizar a vida do cidadão brasileiro é o nosso foco, além de deixar os serviços prestados mais ágeis, modernos e seguros", explicou o diretor-geral do Departamento Nacional de Trânsito Denatran e presidente do Contran, Frederico Carneiro.

A autenticidade do documento no formato eletrônico e impresso em papel comum será conferida através de QR Code, conforme imagem acima:
Com a mudança, tanto o Licenciamento como o CRV poderão ser usados no formato digital e também impressos em papel comum. Na digitalização, o CRV se transforma na Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo Digital ATPV-e.

O diretor de Veículos do Detran-MT, Augusto Cordeiro, reconhece a mudança significativa no documento de propriedade do veículo. "Culturalmente, as pessoas estão acostumadas com o CRV em papel moeda, entretanto, o novo formato garante a segurança do documento por meio da certificação e autenticidade verificada pelo número de segurança impresso e no QR Code", disse.

Entenda as mudanças

Na prática, as mudanças não trarão impactos para quem já possui o documento de registro e a autorização para transferência de propriedade popularmente conhecido como CRV em papel moeda. Ou seja, para os veículos registrados antes de 2021.

Quando esse proprietário for vender o veículo, segue o mesmo procedimento atual: preenche o verso do documento com os dados do comprador, reconhece firma no cartório e, por fim, o comprador vai ao Detran para efetivar a transferência.

Para os veículos registrados a partir do dia 4 de janeiro, o procedimento muda um pouco. O Detran expedirá somente o CRLV-e, em formato digital. A ATPV-e, que antes vinha em branco, no verso do documento, a partir de agora será expedida somente quando o proprietário for vender o veículo.

Nessa ocasião, o proprietário solicita junto ao Detran a expedição do documento de autorização de transferência, informando os dados do comprador. O Detran disponibiliza a ATPV-e preenchida e com o QR Code de segurança
A partir daí, o procedimento é o mesmo de antes: reconhecimento de firma no cartório e efetivação da transferência no Detran.


O papel moeda utilizado para a confecção do Licenciamento e do CRV era custeado com recursos do DPVAT. Com o fim da cobrança do seguro em 2021, o Contran optou por mudar o formato do Licenciamento e do CRV, para papel comum, dando fim ao gasto com papel moeda.

da Redação | 29/12/2020

Últimas notícias

17/12/2020

Mercado: Nissan responde dúvidas sobre carro elétrico em série de vídeos

16/12/2020

Trânsito: Detran-MT mantém serviços de forma on-line ou por agendamento

14/12/2020

Mercado: Jeep garante 100% da Tabela Fipe em usados na compra de Renegade e Compass

11/12/2020

Mercado: Fiat produz campanha do Argo 2021 a partir de ferramentas do Instagram