Segurança: Proteste quer mais itens de segurança em carros nacionais




Testes de impacto realizado pelo Programa de Avaliação de Carros Novos para a América Latina Latin NCAP, parceiro da PROTESTE, associação de consumidores, avaliou nove modelos de veículos fabricados no Brasil em 2017, e apenas três receberam a nota máxima cin­co estrelas. Ou seja, foram os únicos que se mostraram totalmente seguros.

Esse é um resultado preocupante, tendo em vista que somente em 2015, 40 mil vidas foram perdidas no Brasil com acidentes e a insegurança no trânsito é uma das maiores causas de morte em todo mundo, segundo dados do gover­no federal.

Dessa forma, o teste de colisão, além de orientar o consumidor na hora da escolha do carro, também serve para alertar os fabrican­tes. Por exemplo, a Chevrolet fez mudanças significativas no Onix modelo 2018. Testado já esse ano, a nova versão do Onix está mais segura três estrelas.

Por isso que, há anos, a PROTESTE reivindica que a adoção dos cinco itens de segurança citados seja obrigatória em todos os automóveis comercializados no país - e não apenas nos modelos de luxo, que já os oferecem. E então, desde 2014 o freio ABS e o airbag frontal são itens obrigatórios e os outros serão a partir de 2020. A seguir, o consumidor pode conferir as dicas que a associação separou para o consumidor tomar como precaução antes de dirigir para tornar a condução mais segura e evitar acidentes:

 

 Verificar se as luzes do sistema ABS funcionam corretamente.

 Checar regularmente o nível de desgaste das pastilhas, discos, sapatas e tambores de freio.

 Usar fluido de freio na validade.

 Posicionar-se de forma correta no assento. Sempre ao centro; nunca de lado ou virado para trás, deitado, com os braços ou pernas cruzados, debruçado ou com os pés no painel.
 Evitar carregar objetos entre o corpo e o painel do veículo.

Crianças devem estar em cadeirinhas ou assentos infantis, como prevê a lei.

Se o veículo estiver carregado, é necessário manter pequena abertura dos vidros, porque as saídas de gases podem estar obstruídas. Isso, quando os airbags são acionados, gera problemas para os ouvidos dos ocupantes.

Mesmo com os sistemas de segurança em dia, a velocidade das vias devem sempre ser respeitadas.

da Redação | 11/05/2018

Últimas notícias

18/10/2018

Salão de São Paulo: Troller apresenta o novo T4 2019

17/10/2018 23:00:00

Mercado: Renault anuncia novos veículos eléticos

16/10/2018

Mercado: Versão Precision coloca toda linha Argo em 2019

15/10/2018

Mercado: VW lança campanha do Novo Jetta